Felipe Tomazini On quarta-feira, 2 de junho de 2010
Introdução.
A bacia do rio Paraná é uma das doze regiões hidrográficas do território brasileiro.

A região abrange uma área de 879.860 km², distribuídos em sete Unidades da Federação: Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e o Distrito Federal.

O Rio Paraná é o principal curso d'água da bacia, mas de grande importância também são seus afluentes e formadores como os rios Grande, Paranaíba, Tietê, Paranapanema, Iguaçu, dentre outros.

As principais coberturas vegetais da região eram a Mata Atlântica, o Cerrado e a Mata de Araucárias, que foram fortemente desmatados ao longo da ocupação da região. A bacia do Paraná é a região mais industrializada e urbanizada do país. Nela reside quase um terço da população brasileira, destacando-se como principais aglomerados urbanos as regiões metropolitanas de São Paulo, Campinas e de Curitiba.

Trata-se da bacia hidrográfica com a maior capacidade instalada de energia elétrica do país e também a de maior demanda. Destacam-se as usinas de Itaipu, Furnas, Porto Primavera, dentre outras.

O Rio Paraná corre aproximadamente no eixo central da Bacia do Paraná, ampla bacia sedimentar com área de cerca de 1,5 milhões de km2 e situada na porção centro-leste da América do Sul, abrangendo o nordeste da Argentina, o centro-sul do Brasil, a porção leste do Paraguai e o norte do Uruguai. A Bacia do Paraná é fonte de diversos recursos minerais, sendo os principais o carvão e a água subterrânea, além de materiais para a construção civil, como o basalto






Algumas considerações

Em território do antigo sul de Mato Grosso (que corresponde atualmente ao Estado de
Mato Grosso do Sul), durante a 1ª metade do século XX. Abordando-se especialmente a
região situada ao sul da linha da E. F. Noroeste do Brasil (caracterizada pelas atividades
da pecuária bovina e da extração de erva-mate), procura-se mostrar que nessa região,
dada a ausência de outras ferrovias e a imprestabilidade das estradas de rodagem, a
navegação fluvial desempenhou, por algum tempo, um papel econômico relativamente
importante. Ela constituiu, por um lado, parte do esforço de expansão do capital sediado
no pólo paulista, facilitando o abastecimento da região com gêneros de consumo, aí
incluídos produtos tanto da indústria como da agricultura paulista. Por outro lado, ela
permitiu a exportação de erva-mate, tanto via São Paulo como, principalmente, via
Baixo Paraná, em direção ao Prata.


navegação comercial efetuada na bacia do Alto Paraná,

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário